Criar galinha pode ser um bom negócio para os agricultores familiares

Redação 232 acessos



E
plena expansão em Mato Grosso, a cadeia produtiva da avicultura, além da criação comercial de aves, tem também iniciativas em alguns municípios para a criação de frango caipira e semicaipira. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o plantel mato-grossense é de cerca de 8 milhões de aves. Ao todo, são pelo menos 550 aviários e 250 avicultores.

Vale dizer que a maioria dos avicultores mato-grossenses possuem de dois a quatro aviários e, pelo menos, 65% são considerados médios produtores. Pequenos avicultores são cerca de 20% e somente 10% são considerados grandes.
avicultura comercial está em várias regiões do Estado. Nova Mutum é o município com maior número de aviário, cerca de 500. Já Nova Marilândia tem somente 80 aviários, considerado o município com o menor número de granjas. Em Lucas do Rio Verde são 181 aviários, Sorriso tem 265, Tangará da Serra 171 e Campo Verde 326.

Apesar deste panorama considerado positivo, o que tem chamado a atenção é a criação de galinha caipira e semicaipira. No último mês de julho, a secretaria de estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT) e diversos outros parceiros montaram, na Escola Estadual Agrotécnica de Poxoréu, uma Unidade de Referência Tecnológica (URT) de Avicultura de Postura.

a estrutura que já existia na Escola, a Seaf forneceu 200 filhotes fêmeas das galinhas, da raça Hisex Brown (poedeira), ração, equipamentos e insumos para este novo projeto. A assistência técnica ficou por conta da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), a manutenção das instalações com a prefeitura e a Escola Agrotécnica vai cuidar da criação das aves e da comercialização dos ovos.

Este projeto começou em março de 2016, com 200 pintainhas em sistema semi-intensivo, no qual as aves permaneceram em regime fechado em um galpão até completarem 28 dias. Após este período, foram soltas para pastar durante o dia e, à noite eram recolhidas no galpão.

A produção de ovos ocorrida na URT no período de agosto de 2016 a maio de 2017 resultou em 44.247 ovos, o que equivale a 3.687 dúzias de ovos. Parte dessa produção foi doada para a Creche Lar dos Meninos de Poxoréu e o restante comercializado no comércio local.

Já em São Pedro da Cipa, os produtores João Moreira, de 78 anos e sua esposa Terezinha Martins de Souza, de 67 anos, proprietários do Sítio Sossego inovaram na criação de galinhas. Com o investimento de aproximadamente R$ 900, Moreira construiu um galinheiro móvel para 30 galinhas poedeiras. Esta nova tecnologia, como foi chamada pelos produtores vai garantir a proteção dos ovos dos predadores.

A produção de galinhas, frangos e ovos caipiras consiste em alternativa de renda e segurança alimentar para o agricultor familiar. A atividade requer baixo custo de instalações e é possível desenvolvê-la em aviários (galinheiros) alternativos, utilizando-se materiais reaproveitáveis e disponíveis na propriedade, como sobras de materiais de construção (tubos, lonas, madeiras, forros de PVC), bambu etc.

Nossa Senhora do Livramento é outro município onde um grupo de 23 produtores rurais estão investindo na criação de galinhas caipiras e semi-caipiras. Eles são das comunidades de Aguaçu, Ponte da Estiva, Mata Cavalo, Mutuca e União Boa Vida.

Para capacitar e qualificar os interessados em investir na criação de aves, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) oferece nove treinamentos específicos para a cadeia produtiva da avicultura. Dentre eles, o de avicultura básica tipo caipira, avicultura de corte, de postura, de postura comercial e boas práticas de produção para avicultura.

Os interessados em fazer os treinamentos do SENAR-MT devem procurar o Sindicato Rural de seu município para solicitar os treinamentos.


Comente, sua opinião é Importante!