Vacinação contra aftosa atinge índice recorde de 99,85% do rebanho em MT

Redação 294 acessos



Aprimeira etapa de vacinação contra febre aftosa, após a inversão das campanhas, foi a que atingiu um maior índice de vacinação dentro da série histórica do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT). De acordo com o Indea, foram vacinados 28.919.110 bovinos e bubalinos, correspondente a 99,85% de um total de 28.961.876 de animais envolvidos na etapa. Após a comunicação, evolução do rebanho e campanha de atualização estoque, Mato Grosso possui hoje, um rebanho de 29.651.580 cabeças, incluindo os animais das propriedades localizadas na região do baixo pantanal, região esta, que realiza a vacinação no mês de novembro.
Segundo o presidente do Indea, Guilherme Nolasco, o alto índice de vacinação é resultado de um trabalho de educação sanitária e da conscientização do produtor.
Em 2017, as etapas de vacinação contra febre aftosa foram invertidas em Mato Grosso, uma demanda antiga do setor, devido à dificuldade de manejo do rebanho no mês de novembro, período de maior incidência de chuva. Nesta etapa, realizada de 1º a 31 de maio, foi obrigatória a imunização de todos os bovinos e bubalinos de todas as idades, de mamando a caducando, com exceção para os animais de propriedades localizadas no baixo pantanal mato-grossense.
A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. Atualmente o estado é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação. O Estado caminha para a retirada da obrigatoriedade da vacinação, porém, é preciso manter os índices de vacinação superiores a 99% e a atualização cadastral do rebanho e propriedades.
O Indea está trabalhando os poucos inadimplentes, ou seja, os 0,5% que não realizaram a vacinação dentro do período da campanha, identificando as propriedades, autuando aqueles que realmente não vacinaram e realizando a vacinação assistida do rebanho, para garantir que 100% do rebanho mato-grossense seja efetivamente imunizado.
A multa para quem não vacinou o rebanho dentro do período da campanha é de 1 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasou a comunicação junto ao Indea fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

Comente, sua opinião é Importante!