A hora da união

Editorial

Redação 261 acessos



O momento da política local ainda é de muita discussão entre grupos e pré-candidatos, no momento, todos se apresentam como candidaturas próprias e independentes. Cada um vende seu peixe à sua mos monges budista ou uma Madre Tereza de Calcutá.
De outro lado estão candidatos baseados nos discursos de realizações onde mostram o que já foi feito por eles no passado e as perspectivas do futuro, aliado a isso é bom lembrar que diante do momento de crise em que o nosso país passa nada ou quase nada pode ser feito neste momento.
Porém há candidatos que defendem e lutam pelos chamados movimentos sociais e prometem com todo afinco apoio e garantia a esses movimentos. Somos sabedores que não é somente apoiando a esses movimentos que se governa é preciso fazer sempre mais.
Outro perfil que está aparecendo com vistas ao pleito é o chamado candidato com o perfil empresarial, sem viés político, no entanto, o cargo de prefeito apesar de ser um gestor precisa sim de uma demanda e de olhar político.
Neste momento também está surgindo nomes ligados aos jovens, que tem atraído um boa parcela do eleitorado. Por outro lado, os chamados jovens podem em, alguns casos, precisarem de uma maior experiência para tocar o executivo.
O certo e mais coerente seria buscar um candidato para a cidade único e com um perfil realmente abrangente, que pode atender a todas as parcelas da sociedade, que tenha visão empresarial e ao mesmo tempo seja um político, que trabalhe na medida certa os movimentos sociais, que seja ético, e que saiba também apoiar a juventude e que tenha um perfil realizador.
No entanto, sabemos que é quase impossível acharmos um nome com essas características, mas vale a pena esses grupos sentarem e juntos moldarem um candidato com esse perfil e com essa forma e dessa forma não somente a classe política sairia ganhando como toda a sociedade local.
O que falta neste momento é a união de toda a classe política em torno da cidade e tentar um nome consensual, onde todos de certa forma sairiam ganhando, principalmente a sociedade.
Talvez o sonho de um candidato único nunca esteve tão próximo da sociedade, porém basta a classe política se unir e tem sensibilidade de saber o que realmente pode ser o melhor para a sociedade. O lema agora é: unir para que todos ganhem.

Comente, sua opinião é Importante!