Silas Sales e Silva – Há 30 anos na profissão de barbeiro

412 acessos


“Comecei a minha trajetória de vida no ramo de barbearia nas proximidades da Praça da Saudade em 1986”


Um dos poucos pioneiros no ramo da barbearia tradicional atuantena cidade de Rondonópolis em nossos dias, fala sobre a sua trajetória de vida que não se dissocia da tradição dos seus familiares. Casado há 26 anos com Maria de Fátima, com quem tem dois filhos Bruno e Cleide, três netos completam a alegria família. Vamos conhecer um pouco mais sobre as atividades do pioneiro rondonopolitano que viu a cidade crescer.


Jornal Folha Regional; Fale um pouco sobre as atividades dos seus familiarese sobre a sua vida na infância.

Silas;

Meus pais Austregésilo Pereira da Silva e Creuzeli de Sales nasceram no Estado do Ceará, se conheceram em Rondonópolis, e aqui se casaram, tiveram 10 filhos;Antonio, Demóstenes, Astrogildo, Josafá, Gilberto, Silvio Buriti, ele Silas, Laura (falecida), Paulo e Alberto. Passamos grande parte da infância na zona rural, mais propriamente na Fazenda Libaneza na região da Àgua Limpa, nas proximidades onde é hoje o posto da PRF, foi uma infância, alegre, feliz e saudável com muitas brincadeiras que até hoje temos saudade Na década de 60 mudamos para a cidade nas proximidades da Padaria Cuiabana, para facilitar os nossos estudos.

JFR; Seu pai Austragésilo também foi um dos pioneiros em outras profissões em Rondonópolis quais os segmentos em que ele trabalhou ?

Silas;
Meu pai além de sitiante, trabalhou algum tempo no ramo da construção civil, e depois no ramo de barbearia. Ele e minha mãe sempre tiveram paixão pelo trabalho e se preocupavam conosco, especialmente para que nunca faltasse o pão de cada dia para todos. Minha mãe criava e vendia porcos e galinhas e com esse dinheiro comprou um terreno das mãos do corretor Marinho Franco que era também dono
e maestro de sua impecável banda.O terreno situado no Jardim Urupês, fora adquirido por ela pensando no dia de amanhã, ou seja no futuro dos filhos. Os meus paise toda a família também foram um dos pioneiros no incentivo ao desenvolvimento e crescimento da Igreja Assembléia de Deus local.


JFR; Ondeo senhor Austregésilo começou a trajetória de barbeiro?

Silas;
As atividades do meu pai no ramo de barbearia começaram no salão do Zé Barbeiro no bairro Caixa D´agua ainda na década de 1960. Zé Barbeiro era muito conhecido, tinha um conjunto musical chamado Os Rondoninos, que animava as festas de igrejas principalmente na zona rural da cidade, animando também grandes comemorações nas fazendas, casamentos, aniversários bodas de prata bodas de ouro, e outras eventos, por isso tinha uma boa freguesia.

JFR;Como se deu a sua parte educacional, e a de seus irmãos, foi muito difícil para os seus pais?

Silas;
Quando chegamos da roça para a cidade, o objetivo era estudar no Colégio La Salle, mas não tinha vagas, então fomos para o Colégio Pindorama onde começamos nossos estudos. Foi uma educação com muita seriedade, todos nos levávamos as lições para fazer em casa, e fazíamos. O respeito para com os professores era grande, ele era realmente uma autoridade em classe e todos se respeitavam. Naquele tempo havia mais tranqüilidade e segurança, mais contato com a natureza, mas por outro algumas conquistas, objetivos, e até mesmo material escolar era difícil de conseguir. A vida e a convivência eram mais saudáveis, as amizades mais duradouras, afinal eram outros tempos.

JFR; A influência da profissão de barbeiro veio também do seu pai?

Silas;
Certamente, quando nos tornamos adolescentes já nos preocupamos com o que vamos fazer para nos ajudar e ajudar a família. Despertou em mim a vontade de começar na profissão, e foi então que em 1986 comecei a minha trajetória de vida no ramo de barbearia no salão do Sergio Cabeleireiros nas proximidades da Praça da Saudade. Depois de algum tempo, com muita dedicação e luta hoje tenho o meu salão em prédio próprio no centro da cidade.

JFR; Cite algumas pessoas ilustres que freqüentam o seu salão e se utilizam do seu talento e de sua arte como barbeiro. Nós entendemos que essa tradição dos barbeiros sempre se mantenha, a exemplo dos países da Europa e que nunca se acabe apesar das inovações tecnológicas no seguimento dos cabeleireiros.

Silas;
Sempre recebo todos os meus clientes com grande satisfação, todos eles são importantes, tenho na minha clientela o ex secretário municipal Rubson Guimarães, o Dr. Eduardo Weigert, também ex secretário do município, o senhor Élcio Moreira, o jornalista Evandro do Jornal Folha Regional, que por sinal é um dos meus clientes mais antigos, José Moraes dos Santos que é meu cliente há 30 anos, e outros que não me lembro no momento. Tenho que agradecer à todos eles pela simpatia, atenção e preferência.

JFR; Para finalizar, como você vê a questão do movimento político hoje no Brasil que enfrenta a crise econômica e a corrupção?

Silas;
Todo o cidadão tem que participar, no seu bairro no seu município no seu estado ou no seu país, por muito tempo eu fiquei de fora, não queria me envolver nem mesmo em sugestões na política. Mas com o tempo a gente amadurece, hoje vejo as coisas diferentes, no país há uma barganha, principalmente nos estados do nordeste. Meu pai dizia não vamos dar o peixe, mas vamos dar a isca para pegar o peixe. Uma grande ausência no meu entender são as carências de bibliotecas principalmente nas escolas. É só através do conhecimento e por tanto é através da leitura que as pessoas podem mudar, podem melhorar. Os nossos jovens precisam se conscientizar e participar mais das atividades para se inteirar das questões políticas de suas cidades. Saúde, Educação e Habitação tem que ser questões primordiais de qualquer governo. Agradeço por esta oportunidade, estamosa disposição de todos na Av. Amazonas 230 Centro, para aqueles que quiserem marcar hora de atendimento é só ligar 99 82 76 98.

Comente, sua opinião é Importante!