Jairo Vicente – Presidente do Conseg da Vila Operária

6958 acessos


A nossa entrevista desta semana pela coluna Espaço Aberto é com o presidente do Conselho Comunitários de Segurança (Conseg) Vila Operária, Jairo Vicente. Natural de Sorocaba (SP), Jairo é casado há 50 anos e tem quatro filhos. Jairo conta que está há 12 anos está no Conseg dos quais possui seis mandatos à frente do conselho. No dia 15 de agosto, ele foi reeleito e ficará mais quatro anos na presidência do Conseg da Vila Operária. No bate-papo ele fala das lutas e problemas para a segurança de Rondonópolis.
1. O Conseg da Vila Operária é formado por quantos membros?
Estou há 12 anos lá e com seis mandatos. Eu peguei o Conseg da Vila Operária tinha eu, Neles Walter F. de Farias, Tião do Gás, Maria Célia, Dona Alda, João Amélio e Fernando Esperança, praticamente eram oito e hoje está com 200 membros.
2. O que você atribui estar há tanto tempo a frente do Conseg?
Eu gosto muito de Segurança Pública, milito nesta área há mais de 45 anos. Eu me alistei no Exército, fiz curso de comunicação, fui cabo e sargento na cidade de Jundiaí. Depois prestei concurso da Polícia Militar e ingressei em 1970, onde fiquei praticamente por 10 anos. Depois, fui para a Polícia Civil em meados de 80, lá fui investigador e fiz também curso em São Paulo de detetive profissional que sou até hoje. Então, eu gosto, estava faltando promotores, a gente foi um dos que levantou. Também faltavam investigadores, nós fomos brigar para ter profissionais, escrivão também. Cobrar das autoridades para que a máquina ande. Eu fiz boas amizades, comecei sendo presidente de bairro do Jardim das Flores.
A eleição foi dia 15 agosto e fui eleito com 100 votos, não fui eleito por aclamação. Aqui na nossa cidade temos quatro Consegs: Grande Aurora, Salmen, Central e Vila Operária. São todos amigos, quando surge alguma coisa nós nos reunimos, essas reuniões tem sido produtivas, nós vivemos uma época aqui de muitos homicídios, que tiveram uma redução, mas os furtos continuam na nossa cidade.
3. Qual o papel do Conseg?
Ser um elo com a sociedade, com a comunidade porque você sabe no seu bairro o que acontece, tudo o que passa onde você mora e na sua região, você vai saber informar ao presidente.
4. O senhor veio para cá em 2001, por qual motivo decidiu mudar para Rondonópolis?
Primeiro que em 1993, eu já tinha vindo aqui, comprei alguns bens e voltei para São Paulo. Depois decidi mudar para outro estado, minha mulher já conhecia bem Rondonópolis e a região, e foi nesse passo que eu vim para cá. Ainda tenho coisas lá em SP, eu vou para lá todo ano. Eu gosto daqui, é minha segunda terra onde tenho grandes amizades.
5. Quais são as atribuições do presidente do Conseg?
A minha atribuição é muito grande, além de fazer um elo com a sociedade, a gente já defendeu a falta de promotor público na cidade, a gente cobra o poder público. São certas coisas que você tem que estar trabalhando em prol daquilo, por exemplo, eu estou cobrando do governador Pedro Taques um batalhão da PM para a Vila Operária. A gente está lutando também para que tenha um posto do Detran na Vila Operária.
6. Qual o maior desafio do Conseg?
É reduzir o índice de furto não só na região central, mas em toda cidade. Nós precisamos do serviço de inteligência nas ruas, apesar a polícia que nós temos ai é capaz, mas nós estamos com dificuldade, precisamos abrir os pontos estratégicos, onde estão havendo mais crimes.
7. Como o senhor analisa a segurança no nosso município?
A segurança hoje é uma coisa meio arcaica, às vezes, demora muito para ser atendido. Precisa ser mais ágil, só o 190 não é suficiente.
O número de policiais em Rondonópolis é o suficiente para desenvolver um bom trabalho?
Não, eu acho que tem que ter mais, porque a cidade cresce, precisa crescer o número de policiais.
8. Qual foi a sua principal conquista a frente do Conseg da Vila Operária?
Eu peguei o Conseg com oito membros e hoje temos 200 e me orgulho por entender da área de Segurança Pública, tem que gostar e conhecer.
9. E as próximas lutas?
Precisamos de um helicóptero para nossa cidade, seria fundamental para o nosso dia-a-dia, nós temos mais de 200 mil habitantes e 288 bairros, só eleitores da Vila Operária temos mais de 60 mil. Outra conquista seria o Batalhão da PM, uma 2ª Cia do Corpo de Bombeiro na nossa cidade, um posto do Detran na Vila Operária e mais policiais em todas as esferas. Queremos que tenha uma Rondonópolis mais segura para todos.
10. O que você acha que precisa ser feito para aumentar o interesse da população em participar dos conselhos?
Eu clamo para que as pessoas participem das reuniões do Conseg, é lá que você vai tomar conhecimento das coisas que acontecem e do que precisa do seu bairro. Na região da Vila Operária, são 100 bairros. Eu fui fundador dos Consegs em Itiquira, Tesouro, Guiratinga, Primavera, São José do Povo, Poxoréu, juntamente com o coronel Taborelli.
11. Quando e onde acontecem as reuniões do Conseg?
Dentro da Cia da Polícia Militar, geralmente a gente convida um delegado, um investigador, ou um membro do Exército, ou bombeiro. De qualquer instituição que fale de segurança pública, as pessoas precisam ser participativas. As reuniões acontecem de dois em dois meses.

Comente, sua opinião é Importante!