Edeilson Carmo de Lara – Comerciante

11641 acessos


Em comemoração ao Dia do Comerciante neste dia 16 de julho e também ao Dia do Panificador, celebrado no último dia 8, a coluna Espaço Aberto traz mais uma entrevista especial no setor do comércio. Dono de uma das mais tradicionais padarias de Rondonópolis, Edeilson Carmo de Lara, viu sua vida transformar quando foi demitido de um importante cargo em um banco da cidade a qual atuava a cerca de 10 anos.
“Foi um choque, eu era bancário e o banco foi vendido, o pessoal mais antigo foi demitido, foi um choque, mas quando decidi montar algo nosso, não foi fácil no início, nos primeiros anos foi uma escola de aprendizado,” explicou o comerciante.
Com um olhar aguçado para o comércio, Edeilson viu no setor alimentício uma saída para a vida profissional. Confira abaixo a história do comerciante e como a escolha do empreendimento certo tornou a padaria Pão de Mel uma das mais conhecidas em Rondonópolis.
1. Como foi o início da panificadora?
Começamos no Jardim Ipanema, em um salão pequeno de 5x10, não produzíamos no início, nosso produtos eram terceirizados, depois mudamos para a Vila Planalto foi quando começamos a produzir. Com o passar do tempo, negociamos e compramos a padaria aqui no Jardim Guanabara, onde estamos há oito anos.
2. O que levou você a escolher o setor alimentício?
Eu era bancário e o banco foi vendido e o pessoal mais antigo que já estava há mais de cinco anos foi demitido. Eu já estava há mais de 10 anos, tinha um cargo de confiança, dentro do próprio banco já havia verificado que algumas padarias eram clientes, eu achei interessante, por mais que as pessoas acham que é um ramo difícil, eu achei que devia partir para o ramo de alimentação, por mais difícil que seja no comercio é o setor que sobressai.
3. Você já colocou a mão na massa?
No início sim, já coloquei muito a mão na massa, eu acordava 2h da manhã, hoje acordo às 5h, no começo trabalhava junto com o padeiro, tinha que aprender e assim fui tomando conhecimento de como funcionavam as coisas. Se você não souber o que está fazendo, fica complicado. Hoje, eu fico com a parte de administração.
4. Como foi a escolha do nome da padaria?
Antigamente aqui era Mil Delícias, quando fui abrir optei por Pão Doce Mel, pensamos em algo que fosse saboroso e achamos o nome apropriado.
5. Com quantos funcionários vocês começaram? Hoje, são quantos?
No começo tínhamos um padeiro e uns quatro funcionários. Hoje temos 22 funcionários, sendo quatro padeiros.
6. Quantos clientes em média tem a padaria diariamente? Qual o estilo dos clientes?
Temos na faixa de 500 clientes por dia, nossos clientes são de todos os estilos, temos desde o empresário, a dona de casa, o mecânico, aquele que está passando pela rua. ]
7. Qual o diferencial da padaria Pão Doce Mel?
São os produtos que são diferenciados para cada segmento, nós temos hoje uma clientela e procuramos atender a todos. Oferecemos café da manhã e café da tarde, no sistema self service. Nosso carro-chefe que é um produto desenvolvido por nós é o pastel alemão.
8. Qual o horário de funcionamento do estabelecimento?
Nós abrimos todos os dias, durante a semana, das 5h às 19h, sábados até às 18h e nos domingos e feriados até às 11h.
9. Qual o conselho que você dá para quem está começando e quer abrir um empreendimento?
Primeira coisa fazer um levantamento do local se é apropriado, se a região comporta, a cidade tem muito espaço, há muitos bairros que estão carentes do ramo alimentício, o pessoal procura sempre na área central e que já está saturada. A pessoa precisa conhecer a área que ele quer também e tem que ter dedicação. As pessoas pensam que ser patrão vai poder chegar mais tarde, dormir mais, que é só fazer o caixa, mas é o contrário, a partir do momento que você muda de lado, você vai trabalhar mais, tem que ter compromisso e dedicação com o que se presta a fazer.
10. A padaria está comemorando 15 anos, qual reflexão você faz deste período e o que espera para os próximos anos?
Estes 15 anos foram muito bons, se fosse hoje escolheria fazer a mesma coisa, no começo não é fácil, nos primeiros anos é uma escola de aprendizado, o resultado só fomos colher mesmo sete anos depois. Para os próximos anos, estamos sempre investindo, em processo de mudança, pretendemos continuar no ramo com mais qualidade de vida, estamos também organizando para franquear a nossa marca futuramente.

Comente, sua opinião é Importante!